Domingo, 25 de Janeiro de 2009

Na sexta-feira passada, Maria do Céu Albuquerque foi escolhida para cabeça de lista do PS, nas próximas eleições autárquicas em Abrantes.

Como muitos previam, era o nome esperado. Para mim, surpresa, foi a manutenção de Jorge Lacão, como cabeça de lista à Assembleia Municipal.

 

Ontem, à Antena Livre, Nelson de Carvalho foi o entrevistado no programa "Em Foco", de Jerónimo Jorge. 

Do que falou, destaco duas matérias: uma do passado. A outra do futuro. 

Do passado, quando falou do que fez (e a sua equipa), para conquistar a autarquia.

 

"Dei muita volta ao concelho."

"Contactei com muita gente."

"Aparecemos com equipas inteiramente renovadas."

"Foi uma campanha longa, árdua, difícil."

"Nada de facilitismo."

"Presença fortíssima na rua. Com porta-a-porta em todo o concelho."

"Trabalhámos bem. Nos timmings certos e com qualidade."

"Não se facilita nem um milímetro."

"A sequência dos cartazes muito correcta. Os cartazes com uma grande qualidade."

"Comigo não há uma lista de obras. Há uma visão para o Concelho."

"Isso dá credibilidade. Diz às pessoas, antes de ser Presidente da Câmara: este candidato faz as coisas bem feitas. Faz as coisas com um nível de qualidade e exigência que é necessário na governação de um município."

"Havia sempre nas minhas campanhas um forte contacto de rua."

 

Do futuro, relativamente à sua não continuidade e, sobretudo, ao que se seguirá no PS:

 

"Achava que o PS precisa renovar as pessoas e lançar um novo ciclo."

"Lancei uma geração. Cumpriu o seu papel."

"Era a altura de facilitar a emergência e a chegada ao poder autárquico de uma nova geração. Que eu creio que existe no Partido Socialista."

"Renovação como um valor político, para melhor servir a comunidade."

"Esta geração que vai chegar agora, pode protagonizar os próximos 12 anos."

"A nova candidata será capaz de lançar uma visão de futuro, para os 12 anos que vêm a seguir."

 

Volto ao título deste texto.

Creio que o maior adversário de Maria do Céu Albuquerque, será precisamente Nelson de Carvalho e todo o seu legado.

Por isso, insisto que o PS deverá começar do zero. Com o empenho de quem tenta conquistar a autarquia pela primeira vez.

E renovado. De que a manutenção de Jorge Lacão não é um exemplo.

Ou os próximos dados mostram isso, ou um sentimento de orfandade tomará conta do partido, com prejuízos eleitorais.

A substituição de líderes fortes nunca foi fácil. Ontem, Nelson de Carvalho deu umas dicas.

Será o primeiro teste para a candidata.

 

 

 



publicado por notasdeabrantes às 15:27 | link do post | comentar | favorito

1 comentário:
De Anónimo a 28 de Janeiro de 2009 às 15:05
o maior rival à Dr. M. Céu Albulquerque é a consciência da própria, pois um presidente de cãmara não pode pôr em causa problemas de saúde pública como essa senhora quiz fazer no concelho do Sardoal,isto por questões meramente ideológicos. E vai esta senhora todos os domingos missa!!!!!!!!


Comentar post

mais sobre mim
Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

Até outro dia!

Os Tribalistas

Manuela já tem sucessor

Placard Informativo

Empresas que mexem

Portas-Abertas nos Bombei...

O Campo dos Media

Para pensar

A Comunicação como apoio ...

A política de Portas-Aber...

arquivos

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

visitas
blogs SAPO
subscrever feeds